Saúde

Obesidade

O que é e suas causas:

A obesidade é uma doença crônica definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como o acúmulo anormal ou excessivo de gordura no corpo. O tratamento precisa ser de longa duração para evitar outras complicações que aparecem com o tempo, além de uma menor qualidade e diminuição da expectativa de vida. Está diretamente relacionada com doenças do coração, Hipertensão, Diabetes Mellitus tipo 2, Dislipidemia, Doença do Refluxo e até problemas psicológicos.

Em nossos corpos, a obesidade aparece quando a energia ingerida com os alimentos supera muito a quantidade de energia gasta nas atividades diárias. Entretanto, outros fatores também interferem, como a genética, a situação socioeconômica e o ambiente em que vivemos.

É fácil perceber isso hoje, observando as mudanças causadas pela tecnologia no estilo de vida, sendo notório nos mais jovens . As atividades e brincadeiras ao ar livre, por exemplo, perderam espaço para telas e jogos eletrônicos. Os hábitos alimentares também mudaram. Hoje, consumimos mais alimentos processados ou fast food, que ficaram mais acessíveis. Por isso, muitas vezes crianças e adolescentes consomem menos alimentos saudáveis, criamos  assim uma nova Geração com hábitos de Vida cada vez piores.

Prevenção

Apesar da relevância dos fatores genéticos no desenvolvimento da obesidade, essa situação pode ser evitada, a começar pela educação das crianças dentro de casa e na escola. Deve-se optar sempre por refeições e lanches saudáveis e, de preferência, não comprar alimentos industrializados e ricos em gordura. Doces, frituras, refrigerantes e até bebidas alcoólicas podem ser consumidos, mas em ocasiões específicas e sempre com moderação.

Além da alimentação saudável, rica em carnes magras, vegetais, frutas e massas integrais, deve-se manter a prática regular de exercícios físicos. Atividades como esportes coletivos, corrida, dança, caminhada e ciclismo, por exemplo, além de fazerem bem ao corpo, são fontes de prazer e socialização.

Lembre-se:

  • Cada organismo tem seu ritmo. Cada pessoa responde de um jeito ao tratamento para obesidade. 
  • Pequenas mudanças são mais fáceis de assimilar. Mesmo com um objetivo maior em mente, dar um passo de cada vez pode ser o melhor caminho para a perda de peso ser mais provável. 
  • Evite comparações e vá devagar com as cobranças. Isso ajuda a evitar frustrações que podem acabar resultando no abandono do tratamento.

Diagnostico

Para diagnosticar a obesidade é preciso começar calculando o Índice de Massa Corporal (IMC). Ele mede a relação entre peso e altura, dividindo um pelo outro. Em adultos, o IMC entre 18,5 e 24,9 é considerado normal e quem apresenta IMC entre 25 e 29,9 está com sobrepeso. Adultos com obesidade têm IMC acima de 30.  Quando o resultado é maior que 40 a obesidade é considerada grave.  

Tratamento

A primeira opção para se livrar do excesso de peso é o chamado tratamento clínico, que inclui dieta, exercícios, medicação e acompanhamento médico e nutricional. Também podem fazer parte da equipe um fisioterapeuta e um psicólogo ou psiquiatra. O objetivo é conscientizar o paciente da necessidade de trocar o sedentarismo e a má alimentação por hábitos de vida mais saudáveis que contemplem atividade física e dieta balanceada.

Nos casos em que a obesidade traz prejuízos à saúde e o tratamento clínico se mostra ineficaz, o tratamento cirúrgico deve ser considerado. O método é conhecido popularmente como “redução de estômago”, vai muito além. Existem vários tipos de cirurgias disponíveis, e cabe ao médico apresentá-los ao paciente e junto ao paciente decidirem o  mais apropriado e seguro de forma individual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat